Preço ou Valor?

Era um daqueles dia de rodízio do carro. Pra variar, Sérgio acordou atrasado e teve de sair de casa voando, deixando para trás seus pertences.

Aquele, não seria um dia comum, embora a rotina fosse.

O ponteiro do relógio corria e, isso o obrigou à acelerar um pouco mais seu carro. O problema foi que, não era só o Sérgio, que estava atrasado... Havia uma criança e uma mãe que, também apertavam seus passos na calçada. Não demorou e, de repente, essa criança soltou a mão da sua mãe e, resolveu cortar caminho na frente do carro do Sérgio.

Ele, não pensou duas vezes. Atento com a aproximação da criança, jogou seu carro para o lado e bateu num outro carro. A criança, assustou-se com o barulho. Já o motorista do carro danificado, abriu a porta enfurecido e aos berros, cobrava que o pagamento dos danos fosse feito, de imediato.

Leia também - Eu amo estar feliz sem saber exatamente porquê.

Sérgio permaneceu calado. Não deu uma única palavra que fosse. Só estendeu o cartão com seus contatos e, pediu que lhe fosse enviado o preço do conserto. Sua preocupação mesmo foi de correr o olho para o lado da criança, certificando-se de que havia ficado tudo bem.

Quando entrou de volta em seu carro, Sérgio tremia. Desabou a chorar. Chorava de alívio por não ter apanhado e ter engolido, cada uma daquelas palavras de fúria. Chorava, principalmente, porque o tempo todo se lembrou de que, aquela criança deveria ter a mesma idade de seu filho... E, que poderia ter sido seu pequeno, que não estivesse mais aqui entre nós, nesse momento.

Quantas pessoas são como, o motorista preocupado com o PREÇO do carro? E, quantas pessoas são como, o Sérgio preocupado com o VALOR da vida?

E, você? É motorista, ou Sérgio?

Compartilhar no Facebook