Os verdadeiros loucos têm asas gigantes que os impedem de andar

Esses dias eu estava muito incomodado. Pensava no quanto algumas características minhas em relação à saudade, viver a intensidade do momento, interdependência e outras, eram tão diferentes entre si, que me sentia só.

Ficou pior, enquanto eu ,batia um papo com uma amiga e ela ia me perguntando sobre minhas formas de pensar. Quanto mais me atrevia a ser sincero, mais diferente ficava, mais estranho parecia, mais isolado me sentia...

No fim, a sensação de conversar foi muito boa, mas a ideia de ter um jeito um tanto esquisito, que não combinava muito com o normal, começou a me assombrar um pouco. Será que precisarei mudar para me adaptar? Será que precisarei procurar, como um Sherlok Holmes, pessoas que sejam mais piradinhas assim?

Se você por acaso, já sentiu que a sua maneira de pensar é meio que única, entende o que estou falando, e como me senti!

Se você não sente, talvez esteja tão preso à normalidade e tão encaixada nos pensamentos padrões, que sua excentricidade não está conseguindo florescer... E aqui, mora a questão.

Somos tão diferentes que não é possível existir o normal. Ora, não tem lógica nenhuma ele existir, afinal a natureza, destino, espíritos, Deus e o que mais você acredita, fizeram um excepcional trabalho em fazer com que cada um seja único.

Usamos o normal, inicialmente para conseguirmos conviver e lidarmos melhor com as nossas diferenças – em tese não nos matarmos à toa.
Opa, sinto muito, mas parece que não vem dando muito certo.

Veja também - 5 razões porque os malucos são os mais adorados

Como Free LifeStyle, eu adoro notar sorrisos. E se a ideia é conseguirmos viver melhor em sociedade, impulsionar a alegria, uma vida digna... é só olhar para as pessoas e escutar suas conversas para notar que não está rolando! E aí, voltei para a questão...

Eu não preciso cortar as minhas asas da loucura, na verdade preciso usá-las para voar, assim é que terei vida em essência. Andar é apenas uma adaptação imposta por muita gente que não me conhece, e mesmo que conhecesse, não poderia dizer o que é mais feliz para mim.

Acredito que a sua loucura é de uma certa forma, as asas que te levam a ser feliz, sua excentricidade de uma forma que o mundo quis que você tivesse um papel aqui... talvez, ou até muito possivelmente, seguir o padrão é o mais longe que você pode ficar, daquilo que você realmente veio fazer aqui.

Voe. Não é à toa que o céu é infinito, e a terra não.

Compartilhar no Facebook