Os bons hábitos que nos deixam

Hoje é um daqueles dias que a sua cama lhe chama, além do mais a minha, que não esta com uma saudade daquelas. Já fazem vários dias que vou deitar com muito pouco tempo para descanso e numa correria tão louca que não estávamos nos entendendo. E hoje seria mais um dia um tanto corrido, mas a exaustão de tantos na sequência, fez a minha cama praticamente falar: - Venha Bru!

Essa descrição é para você entender o quanto eu queria ficar deitado, mas, não foi o que eu fiz. Vim aqui escrever mais uma vez e usei esse fato para explicar essa ideia.

“Bons hábitos, muitas vezes nos largam pelas nossas vagabundagens. ”

Eu tenho o hábito de escrever todos os dias de semana. Eu faço isso para sempre lembrar algo Free LifeStyle que aconteceu, devido a muitos dias (para não dizer quase todos) serem insanos de tantas atividades profissionais... A minha garantia de manter o FLS dentro de mim é parar e refletir, mas, tem dias, como esses últimos 22, que são porradas ao extremo...

O que acontece? Apenas, às vezes, queremos parar tudo e deixar fluir...
Estava deitado quando vi que não tinha escrito e ao pensar se levantaria ou não, fiz a seguinte pergunta: - Eu vou mesmo deixar de passar meu momento de refletir sobre a vida e estar aqui presente fazendo algo incrível? Não seria isso deixar um pouco do FLS fugir de mim?

Levantei correndo, eheheh

Lembrei de uma história que o meu sócio contou sobre um dos senhores mais velhos da sua rua, que tinha uma saúde de dar inveja e ele tinha isso porque caminhava basicamente 6 km por dia, indo e voltando do trabalho. Não aceitava carona nem em dia de chuva, tinha medo de que se aceitasse, começasse a parar de aproveitar suas caminhadas e o bem que elas faziam...

Ok, é muita dedicação e até um pouco extremo, mas, convenhamos, não é mesmo fácil cairmos no comodismo e perdermos hábitos tão bons que adquirimos.

Ler? Fazer exercício? Procurar os amigos? Praticar seu hobby? Meditar? Tirar um tempo para si? Preparar uma boa comida?

Todas essas coisas legais do dia-a-dia entram em nossa vida com muita alegria, criamos histórias tão agradáveis ao vivê-las e ao mantê-las em nossas vidas, mas, por essa mesma lógica da praticidade e exaustão, elas viram apenas boas memórias.

Não, não, não... Hoje não, e nem amanhã. Não vou deixar virarem boas memórias, porque as quero na minha vida, hoje e amanhã.

Apenas como memória é só um passado que esqueceu de vir para o presente.

Aqui não vai rolar... E ai? Quantas coisas legais vão ficar no que passou e quantas serão eternas na sua vida?
Aqui estou eu, tirando do passado o que não lhe pertence e a escrita deve continuar.

Compartilhar no Facebook