Neurolinguística para pegar mulher?

Antes de brigar comigo ou se enfurecer, leia até o final e tire suas conclusões. Essa é uma das perguntas que eu mais recebo dos homens: “Posso usar a Neurolinguística para pegar mais mulher? E das mulheres: “Posso usar a Neurolinguística para manter um namorado? Não adianta ficar chateado comigo, eu não tenho culpa se as pessoas têm essa curiosidade, mas posso ajudar, e muito, se você ler tudo aqui...

Vamos aos fatos: a maioria dos moleques novos não tem autoconfiança. A vontade de achar algo em si para acreditar é uma luta árdua, e correr atrás daquela menina que você sempre curtiu às vezes parece mais difícil que passar no vestibular.

*Novamente, não julgue antes de terminar, quero lhe mostrar todos os lados

As meninas, mais desenvolvidas e com maturidade acima dos garotos da mesma idade, acabam se frustrando grande parte das vezes com eles.
Ok, vamos esclarecer um fato científico aqui: isso é perfeitamente normal. A mente da mulher termina de desenvolver (a parte que é tem a ver com o bom senso) muito antes do homem, por volta dos 20 a 22 anos;, já o homem, em média, aos 26, 27 anos (sim, “alguns”, muitas pessoas irão dizer rsrsrs).

Eu era um jovem com muita espinha, baixinho, não era bonito, nem feio, peso normal, não rico para comprar roupas de última moda ou tratos no visual, nem o mais esperto da turma. Ou seja, eu não tinha nada de especial – ou ao menos não tinha nem noção do que poderia ser –, minha mente apenas acreditava fielmente que se eu não fizesse nada, acabaria casando com a minha mão, como uns 93% dos jovens acreditam entre 14 e 18 anos.

Ao ver muitos filmes, seriados e documentários, sempre me interessei pela mente, e essa curiosidade me levou a pesquisar mais sobre o assunto. O que comecei a entender nos primeiros estudos, é que a PNL (Programação Neurolinguística) poderia ajudar a me comunicar melhor e persuadir melhor, e consequentemente, eu finalmente tinha uma chance.
Estudei muito mesmo, e comecei, aos poucos, a tentar usar essa ferramenta tão poderosa e descobrir suas aplicações.

Respondendo as duas perguntas do início do texto, sim, você pode. Mas também pode usar para muito mais coisa e também deveria ter cuidado.
Voltando à história...

Eu comecei a aprender a usar a Neurolinguística, e foi certamente uma das 3 coisas mais importantes na minha carreira, porém, no inicio, eu não sabia o quanto isso seria relevante, estava feliz por ter uma chance.

Ao usar, ganhei mais confiança, pois o papo fluía melhor e comecei a ter sucesso... Finalmente, comecei a ficar com várias meninas que jamais acharia ter chance. Eu ia lá, puxava um assunto despretensioso, entendia a linguagem não dita, percebia coisas que ela buscava e moldava o meu perfil, minhas ideias e crenças para ser exatamente aquilo que ela buscava. No final desse processo, consegui várias vezes ficar com elas.

Eu me senti o cara, mas não sabia onde estava me metendo...
O início de sentir a sensação de ser como os meus colegas “pegadores”, que finalmente eu era um homem que conseguia mulheres.

*eu sei que é difícil para as mulheres entenderem o quanto isso é importante para um homem, no início da vida, mas simplesmente é uma forma de se mostrar como homem (por mais babaca que isso pareça – eu concordo!)

Sinceramente, essa confiança me ajudou nas aulas e no trabalho, eu estava bem... Até que comecei a sair com algumas dessas meninas que tinha ficado e aí a coisa ficou feia.

Cada vez eu era uma pessoa, alguém próximo ao que elas queriam e longe do que eu era. Por alguns instantes era fácil ser isso, mas lembrar quem eu era cada vez e continuar criando um novo papel não era tão simples.

No começo parecia um desafio, mas foi se transformando em um martírio. O pior não era o fato de não lembrar ou de fingir, era a dúvida de pensar: “E se eu fosse eu de verdade, será que ela gostaria?”. A ânsia começou a chegar, eu notei que algo estava errado. Sair ficando com tantas pessoas, e não conseguir aproveitar, não fazia sentido.

Um dia resolvi ser eu, apenas o Bruno, um cara com suas ideias, crenças, medos, anseios… Nada mais, nada menos do que eu. E por incrível que pareça, para mim, aquele momento foi da hora e até um pouco estranho.

Eu não acreditava que a menina tinha se interessado por mim, ou pelo menos o pouco que eu ainda lembrava; que não precisava fingir, nem pensar o que tinha dito, tampouco ficar atento para me moldar ao que ela queria. Eu ouvia e falava o que pensava, se rolasse uma conexão, ótimo, se não, tudo bem, acontece.

O poder da PNL foi ótimo aqui, pois eu conseguia ouvir bem, entender, e mostrar o meu ponto de vista verdadeiro, sem ter que me moldar, apenas estava mais confiante e mais preciso ao falar. Que mudança...

Eu passei a entender que não queria pegar uma mulher, eu queria conhecê-la. Pois a maior parte das que eu fingi, eu não lembro, ou seja, é uma página em branco na minha história, algo inaceitável para um Free LifeStyle. E aquelas pessoas que conheci e aprendi, por mais que não tenhamos nos entendido, foram ótimas experiências e recordações.

A PNL é uma ferramenta poderosa como tantas outras, em que se pode usar o conhecimento para o bem ou para o mal, a questão é que quando falamos da mente, as pessoas tem mais medo e receio.

Sim, você deve usar a PNL para tudo, inclusive nos relacionamentos. Você terá condições maiores de entender a pessoa e expor suas ideias e convicções. A maior parte dos problemas nos relacionamentos está na comunicação, que é falha mesmo, e se podemos ter uma ferramenta que ajude nisso, ótimo!

Por mais simples que isso pareça, por ter passado por tantas coisas, posso lhe garantir, nada melhor do que podermos ser nós mesmos e sermos amados por isso. Não há mulher gostosona ou homem lindo o suficiente que mude essa máxima.

Essa história de que você poderá manipular a pessoa e bla bla blá, é justamente bla bla blá. O poder da PNL está em estabelecer uma comunicação mais assertiva, compreendendo a forma de pensar e os objetivos das outras pessoas, assim como adequando melhor a sua mensagem para ter melhor compreensão. Não pense que você vai controlar cérebros ou corações, não vai.

Ah e sobre pegar mulheres – você não pega mulheres, com muita sorte, dedicação e atenção você pode ter a chance de conquistá-la, e isso é muito mais incrível. Meninos pegam mulheres, homens conquistam.

Se você quiser um e-book sobre PNL básica, pode pegar no grupo Mundo Empreendedor

Compartilhar no Facebook