JAMAIS perca a sua voz.

Está tudo tão corrido que duvido que você não tenha pelo menos umas 5 pendências para resolver. Sejam algumas mensagens de amigos no Whats, um projeto na gaveta, o livro pela metade, matricular-se em um novo curso... É fato, estamos cada vez mais acumulando coisas que deixamos para trás.

Ué, você deve pensar, esse artigo não era sobre a minha voz? Vai ser sobre gestão do tempo?

A questão de não perder a sua voz está diretamente ligada a isso. Uma das maiores consequências de virarmos colecionadores de atividades e objetivos incompletos, ou de bons hábitos esquecidos, é que começamos a nos render ao mais rápido, raso e descartável meio de resolver as coisas, ou até fazer parte delas.

Vamos lá, eu sei que você já pegou a sacada aqui. Sim, com isso você esquece da sua voz, da essência e da ideia central de muitas coisas que lhe movem.

Como você deve saber, eu viajo o Brasil fazendo palestras e disseminando esse conceito de vida espetacular que é o Free LifeStyle rsrsrs. A Internet, artigos como este, os vídeos e tantas outras coisas me ajudam a compartilhar as ideias e conhecimento. Porém, nada jamais vai substituir o toque humano, o estar presente. Desta forma, estar ali é essencial.

Em uma determinada época, eu estava tão maluco fechando negócios e produzindo materiais, que chegava próximo da palestra e lá estava eu correndo como um louco ajustando as últimas telas e treinando um pouquinho para fazer uma boa apresentação.

Eu sempre fui preocupado com isso, mas tinha perdido a essência, o meu lado artesanal. Puxa, se a palestra é o momento mágico e central de toda a minha filosofia de desvendar conhecimentos para auxiliar pessoas talentosas e negócios a fazerem a diferença, nada deve ter mais a minha atenção do que isso.

Eu me lembro de algumas vezes estar quase entrando no palco e resolvendo negócios, ou já pensando o que iria fazer quando saísse.
Sim, isso é idiota e ridículo. De certa forma eu me perdi, mas acredito que todo mundo já se esqueceu um pouco da sua voz, das suas origens, do que mais importa.

Não tem cabimento nenhum, bem na hora de brincar no playground (subir no palco), no momento mais divertido, eu estar pensando em acabar =/

Comecei a notar que devido à correria essa essência se escondeu e eu fiquei à deriva dos compromissos. Foi quando eu li um livro, não lembro qual agora, que falava sobre nossas atividades e fazermos várias coisas para aproveitarmos algumas coisas centrais da vida.

E eu me dei conta: “Mas, eu faço muita coisa para aproveitar o momento da palestra e na hora eu nem estou lá, que coisa mais sem sentido. O que estou aproveitando então?”.

Resolvi, naquele dia, gravar um áudio para mim mesmo, recordando a razão daquele momento ser especial (pois ele existe e eu uso). É como uma chamada dizendo “Brunão, vamos lá, essa é a hora de ajudar as pessoas a provocarem suas realidades, usarem suas mentes e evoluírem. Alcançarem sonhos e fazerem a diferença no mundo. Elas estão aqui dedicando seu tempo e energia para, nesse momento, você não fazer nada menos do que aquilo que tem de melhor, o seu espetacular, a sua ousadia e criatividade. Sua alma e coração estão nessa final de copa do mundo...” e por aí vai, em um áudio de 1 minuto e 20 segundos que me lembram da minha voz.

Eu não sei se esse pode ser o melhor exercício para você, de também gravar um áudio para lembrar a essência, a grande missão de fazer o que faz. Pode ser um bilhete, uma tatuagem, uma corrente... Independente do que for, acredito que seja necessário.

Infelizmente, é natural – todos somos humanos, inclusive os Free LifeStyle (por mais que pareçamos de outro mundo) – acabar reféns de uma série de atividades e responsabilidades. Mas nenhuma atividade e responsabilidade devem ser maiores que aquilo que lutamos para fazer a diferença e aproveitar a vida. No momento que você as esquece, acaba abandonando o exato sentido de estar fazendo o que está fazendo.

Portanto, não seja apenas a marionete da ocasião, e sim o diretor da peça.

Compartilhar no Facebook