Nada paga uma mente tranquila

Final de ano é o momento de dor de cabeça, alegria, esperança… É como aquela sopa de vó quando ela quer juntar tudo que sobrou e colocar em uma comida para não jogar nada fora e fica algo sempre surpreendente. E assim é a maioria dos finais e inícios de ano que conheço, uma mistura única que só existe nesse período.

Ao contrário de quase todos os artigos que você vai ler sobre planos, como fazer diferente e outras coisas semelhantes, que são legais, eu gostaria de passar algo mais simples.

Em 2014, tive um ano cheio de conquistas profissionais e grandes expectativas, mas algo estava errado, e me incomodava muito. Você já deve ter tido esse sentimento: você nota que coisas incríveis aconteceram e até imagina alguns detalhes que poderiam melhorar, porém, há uma sensação doida e ,inquietante em mais um final de ano, quando a maior parte das coisas sonhadas, não acontecem e o incômodo toma conta.

Esse momento é estranho, pois ao notar que coisas não aconteceram, a possibilidade de ter um novo ano, em que a página fica em branco e tudo poderá ocorrer, enche a mente de esperança, até das pessoas negativas que não querem admitir – acontece, nós sabemos.

Contudo, tenho notado que grande parte dos planos partem de ganhar uma grana bem maior, adquirir aquele bem maravilhoso para aí sim, no ano que vem, essa sensação de grande final de ano seja melhor e não seja tão confusa.

Eu venho fazendo testes ao longo desses anos. Não foram planejados, a vida resolveu fazer isso comigo, mas tive a oportunidade de acabar ele de diferentes formas, e posso lhe dizer, com certeza absoluta, que este é o melhor.

Não foi o meu ano com o maior número de conquistas profissionais, nem financeiras, mas foi o ano que mais me senti bem comigo mesmo, fazendo coisas que acredito, principalmente de um jeito que acredito.

Consegui ser o mais próximo da pessoa que admiro, que tenho orgulho. E isso me trouxe uma paz que jamais consegui comprar com tudo que já tive. Neste momento, simplesmente, estou tranquilo com a pessoa que sou e isso, de certa forma, parece a melhor base que preciso para o ano seguinte – consequentemente, a paz reina na mente.

Portanto, gostaria de sugerir apenas uma coisa para você, nesse novo ano: pense mais na pessoa que almeja ser! Garanto que no final lhe trará a melhor paz que você pode conseguir.

Compartilhar no Facebook