Há uma diferença entre viver e à espera de morrer

"Viver é ir lá fora onde as coisas não são tão confortáveis" - Erik Wahl

Seu dia é ditado por listas de tarefas e uma series de ações que levam você a tal ponto de exaustão e ansiedade que apenas está contando as horas para que possa ir dormir, e repetir este ciclo de novo e de novo.
Eu passei os primeiros 30 anos da minha vida esperando morrer e eu nem sequer percebi isso.

Eu nunca entendi o que significava estar verdadeiramente presente. Eu nunca fiz nada para o entender o meu valor intrínseco, aquilo eu tinha de mais importante.

Estava em uma constante corrida com o mundo ao meu redor. Meu senso de si mesmo foi definido por métricas, medidas, sem sentido e elogios inúteis.

Eu nunca construí ou fiz qualquer coisa com minhas próprias mãos.

Eu segui regras, fiz o que era esperado, e nunca colori fora das linhas. O mundo inteiro era apenas um obstáculo entre eu e a linha de chegada. Talvez você já sentiu isso. Talvez você já tenha vivenciado isso.

Sentir-se verdadeiramente vivo é uma experiência totalmente diferente. Pequenos momentos te iluminam. Explorar os limites de tudo iluminam seus olhos. Jogar seguramente começa a parecer impossível porque é um lembrete da pessoa que você já foi. Você vive inteiramente de coração no momento.

Você abraça o imprevisível porque é onde um mundo de infinitas possibilidades se abre.

Você redefinir o sucesso. Os elogios perdem seu significado, que fornece uma espécie de liberdade que eu não posso nem colocar em palavras.

Você diz sim a tudo o que pode trazer mesmo que um pingo de alegria a sua vida. Você constrói as coisas com suas próprias mãos, porque você percebe que a autoexpressão é o caminho para a autodescoberta.

E você entende que há diferença entre viver e esperar morrer. A linha final, se você realmente acredita que existe essa bobagem, é o dia que você morre.

Autor: The Skool Of Life

Compartilhar no Facebook