Como parei meu trabalho corporativo para uma vida maluca de empreendedor

Finalmente o SMS chegou:
"Amanhã de manhã, às 05h00, número do voo AZ610, de Roma a Nova Iorque". Um SMS chegando com tudo no meu celular, em pleno domingo à noite, costumavam decidir meu destino e cliente para a semana que estava iniciando. Eu estava trabalhando para uma das três principais empresas de consultoria de estratégia global.

Uma vida embalada em uma mala de viagem. Uma vida de consultoria onde você pode perder tudo e todos, exceto planilhas do Excel. Uma vida sofisticada de negócios da quais somos ensinados a ser escravos ideais, nas melhores escolas de negócios cujos diplomas temos orgulho de segurar.

Depois de algumas horas de sono, o motorista particular estava me levando para o aeroporto de Roma para que eu pudesse embarcar no meu voo de classe executiva para NYC. Após a chegada, eu estava fazendo o check-in para um hotel de luxo cinco estrelas e, logo em seguida, indo para o escritório do meu cliente.

O salário? Era extravagante, também. A empresa estava orgulhosa de estar entre os principais contribuintes da indústria.

Pais

Havia algo de errado com essa vida de consultoria, no entanto. Eu não poderia continuar com isso por mais tempo, e um dia liguei para meus pais: "Pai, mãe, eu acabei de me demitir do trabalho. Eu quero começar meu próprio negócio”.

Minha mãe quase teve um ataque cardíaco. Não era a primeira coisa que uma mãe perfeccionista queria ouvir após ter me incentivado a formar em uma das melhores escolas de negócios do mundo, com as melhores notas. Tentei aliviar sua angústia. Sem chance.

"Mãe, eu odeio isso. Todos esses consultores estão fingindo serem felizes e eles estão tomando pílulas de felicidade. Eu consigo dormir apenas 3 ou 4 horas por dia. Todos esses benefícios que a empresa prometeu não existem. Lembre-se do hotel de luxo cinco estrelas? Eu estou trabalhando quase 20 horas por dia e eu nem mesmo consigo aproveitá-lo. Café da manhã extravagante? Nós nunca temos tempo para isso. Almoço e jantar requintados? É apenas um sanduíche na frente de nossas planilhas do Excel.

Oh, a propósito, em vez de desfrutar um champanhe, eu fico olhando para planilhas durante todos os meus voos na classe executiva também. O salário extravagante? Eu nunca tenho tempo para gastar um único centavo.

Eu odeio minha vida, mamãe, é uma vida tão perdedora. Eu nem sequer vejo a minha namorada. Eu não posso mais fingir. Eu quero começar meu próprio negócio.

Meus pais tinham se aposentado depois de anos de uma rotina de trabalho intensa em seus trabalhos governamentais seguros e chatos.

Eu sabia que vindo de uma família sem um histórico empresarial, seria difícil explicar a minha situação para eles, mas eu não esperava a ligação na manhã seguinte. Foi minha mãe no telefone: "Então, filho, como vai o seu negócio?! Ele está crescendo?!”.

Não importa o que eu dissesse, eu não poderia explicar-lhe que uma empresa precisa de mais do que um dia para crescer.

Tendo o maior apoio da namorada mais incrível, agora era hora, eu compartilhei a notícia com meus amigos que estavam ocupados escalando os degraus da carreira dos sonhos, no extravagante mundo corporativo.

Eu disse a todos que eu acabei de sair do meu emprego para seguir meu sonho de empreender. Alguns dos meus amigos gradualmente pararam de me ver, provavelmente porque eles achavam que havia algo de errado comigo já que era o segundo emprego “dos sonhos” que eu havia largado em um curto intervalo de tempo.

Enquanto o resto dos meus amigos eram favoráveis, ainda havia, no entanto, algo de errado no meu relacionamento com eles: Eu logo percebi que eu estava começando a me afastar de encontros sociais.

Toda vez que me encontrei com esses amigos, eu não tive muitas atualizações para lhes dar em resposta às suas repetitivas perguntas, tais como: "Então, como está indo o seu negócio? Você vai ser o próximo Zuckerberg, certo?", “Cara, nós estamos tão orgulhosos de você e temos certeza que em breve você receberá uma grande quantia de investimento."

Fazer uma Startup era uma longa jornada e eu estava me colocando sob tanta pressão e dando tanta importância para o que as outras pessoas pensavam.

Dia após dia, eu estava ficando mais solitário e mais depressivo conforme eu evitava ocasiões sociais. Meu progresso no empreendimento não foi tão rápido quanto meu círculo social imaginava que fosse e eu estava farto de dizer às pessoas que levaram anos para Startups como Facebook e Twitter para chegarem aonde elas estão agora.

O único lugar confortável era ao lado de meus poucos amigos do mundo empreendedor. Era verdade, só um empreendedor poderia entender outro empreendedor.

Dinheiro, dinheiro, dinheiro.

Como se a pressão social e a solidão não bastassem, eu estava conhecendo a mãe de todas as tensões: ficando sem dinheiro muito mais rápido do que eu imaginei.

Este estava matando a minha produtividade e capacidade de tomar decisões adequadas. Eu estava em pânico e correndo para ser bem-sucedido e ganhar dinheiro.

Um dia, até me encontrei pedindo à minha namorada alguns trocados porque eu não tinha dinheiro para comprar uma garrafa de água. Eu não sabia que era apenas o começo de uma vida tão difícil cheia de altos e baixos ...

Hoje.

Chega de drama: mais de dois anos se passaram desde aqueles dias. Agora estou escrevendo este post em um belo resort em Phuket, Tailândia, enquanto aprecio meu Mojito.

Espere, eu não estou vendendo um sonho. Não, eu não me tornei um dos fundadores de uma startup milionária.

Contudo, o meu negócio tem um fluxo constante de dinheiro que me permite viajar pelo mundo e trabalhar a partir de onde quer que haja Wi-Fi.

Há, no entanto, cinco coisas que eu desejaria ter me perguntado antes de iniciar esta jornada dolorosa. Cinco questões que eu acredito que cada empreendedor futuro deve perguntar a si mesmo antes de tomar o primeiro passo para o empreendedorismo:

1. Você está pronto para a pressão social?

Se você tem amigos e familiares que não são empreendedores, eles não vão realmente entender o que você está tentando alcançar, e a pressão da opinião pública será ainda maior.

Eu me importei tanto com o que os outros pensam de mim, tanto que isso arruinou a minha vida.

Eu estava sendo tão duro comigo mesmo e me punido com ainda mais trabalho para que eu pudesse anunciar o meu sucesso o mais rapidamente possível. Isto é, até o dia que eu percebi que ninguém dava tanta bola para isso, eles estavam preocupados mais com suas próprias vidas. Então, por que eu estava fazendo isso?

Se você se preocupa tanto com o que os outros pensam, você vai perder seu tempo tentando provar que você é bem-sucedido em vez de se concentrar em seu negócio.

Comece a vida. Eu comecei a minha um pouco tarde.

2. Você é solteiro ou você tem um parceiro que dá extremo apoio?

À medida que crescemos, nós compartilhamos mais da nossa vida com os nossos parceiros do que com amigos ou familiares. Enquanto eu tive a sorte de ter uma garota incrível, era tão triste ver muitos dos meus amigos empreendedores terminarem com suas namoradas ao longo do caminho.

Fazendo seu próprio negócio é difícil – muito mais difícil do que eu jamais poderia ter imaginado. Sua mente está constantemente pensando em um milhão de coisas e nenhuma outra pessoa, inclusive sua namorada, tem uma única ideia do que está acontecendo lá dentro.

Se você não é solteiro, certifique-se que seu parceiro entende que às vezes é normal não ter uma mentalidade mesmo para um simples beijo.
Sim, para um simples e adequado beijo francês.

3. Você tem dinheiro suficiente para durar pelo menos um ano?

Ótimo, então multiplique esse valor pelo menos por três, porque você vai estar sem economias muito mais rápido do que você jamais imaginou. Ao longo do caminho, haverá tantos custos escondidos, taxas de contador, necessidades legais, celulares quebrados ou computadores, etc.

Prepare-se para um apartamento menor, menores porções de alimento, ou contar seus centavos, coisas com as quais você nunca se preocupou antes em sua vida.

Os últimos meses antes de acabar totalmente o seu dinheiro vai ser especialmente difícil e a pressão vai crescer de modo tão exponencial que você não vai ser capaz de dormir corretamente.

O sucesso virá devagar, e o dinheiro vai sumir rapidamente. Seja inteligente – planeje desde o primeiro dia.

4. Você está pronto para dormir apenas algumas horas por dia?

Tendo escapado do mundo consultoria empresarial, eu estava pensando que eu finalmente estava indo viver o sonho de trabalhar sempre que eu quisesse – até eu ler a seguinte citação de Lori Greiner: "Os empresários estão dispostos a trabalhar 80 horas por semana para evitar de trabalhar 40 horas por semana".

Tudo começou com algumas acordadas no meio da noite. No início, era porque eu estava muito animado com minhas ideias e eu tinha muitas delas. Eu simplesmente não poderia esperar pela manhã chegar para que eu pudesse começar a trabalhar novamente.

Depois veio a fase do exagero. Eu estava trabalhando muito, porque eu nunca me cansava de desenvolver a minha ideia e eu queria fazer mais. No entanto, quanto mais eu trabalhava e quanto mais tarde eu ia para a cama, mais difícil era dormir e menor era a qualidade do meu sono.
Como resultado, pelo menos dois ou três dias de cada semana eu estava tendo dias com quase nenhuma produtividade. Não se deixe enganar por notícias sensacionalistas de financiamento sobre fundadores de startups se tornarem milionários.

As histórias por trás das cenas têm tantos dias dolorosos, noites sem dormir e constantes rejeições e fracassos. A viagem para o sucesso é longa. Muito longa. Muitas vezes, demasiadamente longa.

5. Como você define sucesso?

Cada um de nós tem uma lista de prioridades diferente na vida. Para a maioria das pessoas, o dinheiro é a prioridade número um na lista, enquanto para outros, o equilíbrio de vida pessoal-profissional está acima. Consequentemente, as pessoas definem o sucesso de forma diferente.

Dependendo da sua definição de sucesso, a dificuldade de sua jornada empreendedora será diferente também. Se dinheiro e reconhecimento público são o que mais importa, é provável que você tenha um período difícil ao longo de sua jornada.

Lembre-se das sábias palavras de Hemingway: "É bom ter um ponto final na jornada; mas é a jornada que importa, no final." (principalmente para um FLS)

Os empreendedores bem-sucedidos não são necessariamente aqueles que levantam milhões de rodadas de investimento. Não se esqueça, eles são um em um milhão.

Há, no entanto, milhares de sonhadores por aí que conseguem inicializar suas Startups ou viver tão bem por conta própria, mas mesmo eles não estando no topo de notícias de tecnologia.

Não importa o quanto a sua jornada complique a sua vida, ou quão dificultosa ela será, aproveite o percurso e continue seguindo a sua paixão. Como Tony Gaskin falou perfeitamente: "Se você não construir o seu sonho, alguém vai contratá-lo para ajudar a construir o dele".

Pense como um Free LifeStyle, a vida é tão única, porque não estar aproveitando o esforço em uma estrada que vale a pena ser percorrida, e em direção de um lugar que você realmente quer chegar. E não esqueça que coisas são sempre coisas, às vezes até podem ter algum significado, mas jamais terão o valor das suas experiências e histórias.

Esse é um livro inspirador para trilhar sua jornada empreendedora:

Fonte: Medium

Compartilhar no Facebook