A maior verdade está no travesseiro.

Parece esquisito, mas esse é o momento mais sincero das pessoas: o encontro com seu travesseiro. Não adianta, você pode ter sorrido o dia inteiro, pode ter chorado na frente de todo mundo… Enfim, não importa o que você fez. Tem um instante que nada disso importa e a verdade se torna mais branda... É quando encostamos a cabeça ali para dormir.

Ela vem impiedosa, saltitante, quase como aqueles letreiros de Vegas lhe chamando atenção, não deixando você esquecer, o quê realmente está acontecendo. Devemos então, olhar para isso, e não fugir.

Isso foi algo que notei uma vez, há um bom tempo, enquanto estava em uma festa lá no RS. Eu ria e brincava com as pessoas, sabia que não estava 100%, mas estava querendo passar que sim. Tentei me divertir, tentei aparentar algumas coisas não reais, e por alguns instantes, até acreditei... Mas, quando deitei, e não tinha porquê e nem para quem mentir, como num rasante, a verdade apareceu, e lá estava eu triste.

Não sei do porquê, mas adoro pensar nisso em festas. Às vezes, vejo aquela menina com o nariz para cima, despachando os caras (como se não fossem nada) e rindo para as amigas, como se fosse uma rainha... Daí, me pergunto: será que na hora da verdade, ela estará assim, ou estará triste, por não deixar ninguém lhe conhecer? Ou porque criou um personagem tão inalcançável, que as outras pessoas, não podem acessar?

Outra situação: Quando vejo aquele cara gritar com todos, tratar as pessoas mal, como se fosse o dono do pedaço, ou o senhor da razão... Será que no momento do travesseiro, ele sente sua fragilidade? Ele lacrimeja por um abraço? Não compreende sua raiva?

Poderia dar milhões de exemplos, mas a questão é que notei que tento pensar, e ajudar as pessoas com suas verdades... porém, muitas vezes, elas não aceitam isso, até que seja a hora em que, não podemos fugir.

Eu gosto de pensar que esse é um bom momento, pois se você sente isso, sinal que seu lado humano lhe chama atenção – “Ei, acorda, você está distante de você.” “O que você está fazendo, não está no caminho da sua felicidade.[?” – e que, sua mente e a vida querem o melhor de você.

Dê uma chance à essa verdade. Perceba que se nesse momento com você, a coisa não está legal – ok, ainda há tempo de fazer algo.

Esse pode ser um indicativo do quanto você, realmente, está aproveitando e vivendo. Se você acredita que dar o fora em vários caras, bancar o gostosão, ou xingar as pessoas para causar uma certa impressão, seja a tal felicidade, quando sua solidão lhe apresentar outra hipótese... Eu apostaria tudo na sua solidão!

Comece a dar uma chance à esse momento. Não fuja dele, pois não se tem como fugir da verdade. Ela estará sempre ali, quando você voltar ao travesseiro... não tem como! Veja como uma sugestão, uma direção, ou algo para amanhã ser melhor, e viver.

Se você está faltando com sua autenticidade, pense em uma coisa para lhe lembrar o seu verdadeiro eu, um pequeno gesto para o outro dia. Se está sendo grosseiro com as pessoas, pense em um pequeno gesto para lembrar da sua gentileza, e da alegria que lhe traz.

Ser Free LifeStyle é apreciar esse momento do travesseiro, e sentir que mais um dia foi vivido, na intensidade do seu ser. Aquela sensação de estar tudo bem sozinho, pois você está sendo você. Esse hora passa a ser, apenas um momento de contemplação do que foi vivido, e não a dura verdade que lhe assombra. Bons sonhos o/

Compartilhar no Facebook