5 sinais que você está muito emocionalmente envolvido em seu trabalho

Para muitos de nós, carreira é uma prioridade em nossas vidas. Nós nos preocupamos com nossos empregos profundamente, forçando-nos a trabalhar cada vez mais para atingir níveis mais elevados de sucesso. Preocupamo-nos tanto com nosso trabalho que ele se tornou enraizado em nossa identidade e auto-imagem.

Por mais que não haja nada de errado em cuidar de sua carreira, os problemas surgem quando você permite que o trabalho controle os seus sentimentos e comportamentos. Se você escorregar para a esfera de ser muito emocionalmente envolvido na sua identidade profissional, chega um ponto que ela te leva mais para baixo do que para cima.

Antes de isso acontecer com você, preste atenção nestes sinais que podem indicar que é hora de repensar e ganhar alguma perspectiva.

1. Você Internaliza a Crítica

Você se sente aleijado e esmagado quando seu supervisor ou colegas de trabalho dão-lhe uma crítica construtiva?

Às vezes, ouvimos o feedback como críticas ofensivas. Mas quando seu chefe pede dados para fazer uma atualização de suas descobertas em um relatório, isso não significa que você tenha feito um mau trabalho ou que você não é merecedor de uma promoção. A crítica não é indicativo de falha; em vez disso, muitas vezes é um sinal de que você está com responsabilidades demais ou assumindo muitos novos desafios.

Em vez de reagir defensivamente, aprenda a aceitar o feedback para o que ele é: uma oportunidade para aprender e executar melhor na próxima vez. Na verdade, muitos gerentes valorizam mais os funcionários que possam responder rapidamente e profissionalmente a críticas construtivas sobre aqueles que nunca cometem erros em primeiro lugar.

2. Você leva trabalho para casa com você

Se você arrasta o seu laptop de trabalho para casa todas as noites como um cobertor de segurança, verifica e-mails obsessivamente no meio do jantar com amigos, ou troca encontros familiares pelo trabalho, as chances são de que você está colocando o seu trabalho antes de seu bem-estar.

Enquanto se preocupar com seu trabalho o suficiente para manter um olho em coisas fora do horário comercial padrão parece ser uma ótima maneira de transmitir que você é proativo e dedicado (e às vezes é necessário), fazê-lo repetidamente pode se tornar um péssimo habito.
Equilibre, tanto por sua sanidade pessoal, como pela sua nitidez profissional.

3. Você sente que trava em situações de grande pressão

No atual ambiente de trabalho de rápido movimento, planos mudam, companhias pivotam, e as prioridades da sua equipe podem reajustar diariamente. Se você se sente sobrecarregado, paralisado, ou completamente jogado para um loop quando essas mudanças acontecem no escritório, faça uma pausa.

Por exemplo, digamos que sua equipe está no meio de um enorme projeto e alguém faz um aviso prévio de das semanas. Você pode reagir de maneira dramática. Se você é de agradar as pessoas, talvez você entre em pânico e assuma a responsabilidade para pegar todas as pontas soltas para si mesmo, sacrificando seus planos de fim de semana para colocar em dias de 12 horas. Quando outros tentam ajudar, você discorda com seus métodos, você acaba com eles. Mas ao ao microgerenciar e consolidar o controle, você está limitando a capacidade de sua equipe funcionar. Sem perspectiva, você corre o risco de tomar más decisões que possam comprometer o seu sucesso.

Em situações como esta, dê um passo atrás e aceite que há muitas coisas - no trabalho e na vida - que você simplesmente não pode controlar. O que você pode fazer é aprender a dominar suas reações: deseje o bem ao seu colega em seu novo trabalho, trabalhe com seu chefe para implementar um plano sólido de transição, e se concentre em concluir com sucesso o projeto como uma equipe.

4. Sua identidade é o título do trabalho

Todos nós valorizamos o sucesso na carreira e nossas identidades profissionais. No entanto, articular a sua auto-estima unicamente em ser bom em seu trabalho pode se tornar uma problemática.

Isso pode subconscientemente se manifestar como, por exemplo, constantemente falar sobre seu trabalho, independente do contexto, ou imediatamente saltar para descrever o seu cargo e responsabilidades quando lhe pedirem para descrever a si mesmo e como você gasta seu tempo. Mas por amarrar sua identidade muito próxima do título do trabalho, sua perspectiva torna-se estreita, com foco em ficar à frente nesta área particular de sua vida, negligenciando o todo maior.

Se isso soa familiar, obtenha uma dose saudável de perspectiva, considerando o que realmente importa para você, além de sua carreira. Quais são os seus talentos? Como gosta de passar seu tempo livre? Com quais causas que você se preocupa? Sua auto-estima é comprometida de muito mais do que o que você faz para viver.

5. Seus relacionamentos são cada vez mais duros

Se seus amigos ou outras pessoas próximas não param de fazer piadas não tão sutis sobre seus hábitos do workaholic (viciado em trabalho), ou se seus relacionamentos são caracterizados por discussões frequentes ou o aumento da distância, investigue de onde essa tensão vem. É possível que você possa estar projetando o estresse no trabalho em seus relacionamentos.

Tenha em mente que as pessoas que você mais gosta estão geralmente do seu lado e vão apoiá-lo - você não pode sempre dizer o mesmo sobre o seu trabalho.

Enquanto se preocupar com o seu trabalho é uma invejável qualidade, ser muito emocionalmente envolvido em sua carreira pode ser prejudicial para ambos os seus objetivos profissionais e pessoais. Ao perceber esses sinais, tome medidas para diminuir o ritmo e fazer coisas que realmente importam.

Free LifeStyles sabem que o trabalho é apenas uma das partes importantes da vida, porém, se fossem a única, não teríamos identidade, teríamos apenas cartões de visita. Você trabalha para contribuir com algo significativo para o mundo e também para aproveitar esse mesmo mundo. Se não está fazendo um desses dois, a coisa não está indo por um lado bom.

Fonte: The Muse

Compartilhar no Facebook