3 maneiras de saber que você está ladeira abaixo

A sensação é feia, única e você sempre a reconhece. Não tem uma pessoa no mundo que não tenha tropeçado em uma escada e visto que é difícil de travar a queda, a não ser depois de rolar uns bons degraus. De certa forma, todos já tivemos uma série de insucessos seguidos.

Vamos combinar que a vida é assim, para cair você precisa lembrar que foi necessário subir um pouco, o que já é legal ;]

Às vezes notamos os primeiros tropicões, mas fingimos que não foi nada, apenas para continuar ou porque não queremos nos preocupar. E assim, o que foi um sinal pertinente para você estar mais atento a uma possibilidade real de se machucar, passa despercebida e a subida continua até uma queda que poderia ter sido evitada.

Existem três maneiras de você saber que está próximo de um grande tombo e ligar o estado de alerta, tão forte quanto político por dinheiro.

1 – Você se nivela por baixo

_
É perigoso e indica que você está olhando para baixo nas escadas e feliz por estar mais acima que outros, e não olhando para frente, o que indica uma grande possibilidade de tropeçar.

Esses dias eu estava em uma palestra de um grande empreendedor brasileiro. Apesar de ter conquistado coisas incríveis, ele não mandou bem, a sua comunicação deixou muito a desejar para quem estava lá, que praticamente não aprendeu nada. Ok, ele é exemplar e isso é ótimo, mas ser um comunicador é diferente. Não simplesmente falar, tem que saber como falar e o que contar.

Eu, que sou absurdamente crítico comigo mesmo, estava meio sentido, pois tinha dado uma palestra antes e tinha errado um detalhe no tempo, o que me fez ter que acelerar e não trabalhar um determinado tópico como eu queria. Porém, depois da minha fala veio esse cara, sentei lá e fiquei olhando.

Quando acabou, confesso que a primeira sensação foi que eu me senti confortável. Nossa, a diferença das palestras era gritante, mas convenhamos, eu trabalho como comunicador e ele é mais gestor. Possivelmente, se estivessem vendo eu e ele gerir um negócio, a diferença iria ser gritante para o outro lado. Ele é muito mais executivo do que eu... Afinal, cada um tem o seu trabalho.

O detalhe aqui foi o meu erro, que por um momento estava pensando em ficar tranquilo, pois apesar das minhas falhas, alguém tinha ido pior, então eu poderia relaxar. Mas você já percebeu onde isso pode levar, né? Imagine se eu me acostumar com essa atitude. Não cresço, não evoluo, acomodo-me no que fiz direitinho e facilmente sou alcançado no mercado.

2 – A pena passa a ser o melhor carinho

_
É como se você estivesse subindo uma escada, e cada vez que se atrapalhasse, pensasse: “ah, pobrezinho de mim, estou cansado, estou triste, estou abalado”. Inicialmente, é a nossa própria pena, sentirmos mal por nós mesmos, a autopiedade, o autocoitadismo. Rapidamente, isso não é saciável e passamos a buscar nos outros, um pouco mais de pena, um pouco mais de desculpas para “tudo bem você não estar subindo as escadas ou tropeçando nelas”.

Acredite ou não, isso passa a virar um hábito, você se acostuma a fazer errado e estar tudo bem com isso. Errar é normal, persistir nisso não é!

O pior dos fatos é a pena virar um meio de ter carinho e atenção, que o nosso cérebro percebe ser o meio mais fácil de se conseguir. Aí sim, a ladeira está perto de você, pois ao invés de focar em como subir, a sua mente está pensando que quanto mais tombos e piores forem, mais “mimo” você terá por estar indo mal.

É quase como um vício em ouvir “Ah, coitadinho(a)” e virar mestre em rolar as escadas.

3 – Você deixou o destino decidir

_
Não sei quais são as suas crenças e a sua religião, porém, a maioria delas acredita que temos o livre arbítrio, a possibilidade de viver, experimentar, errar. Apesar de algumas diretrizes que grande parte das religiões e conceitos de vida falam, a maioria defende: “viva sua vida, tome suas decisões a partir de algumas crenças”.

O Zeca Pagodinho disse para deixar a vida lhe levar, mas a vida e o mercado vão para onde uma série de pessoas mais ousadas, líderes e ativas se movem ao buscar as suas visões. Portanto, o destino ser o controlador das suas ações é, na verdade, deixar os ventos lhe levarem em direção aos objetivos de outros.

“Ah, mas várias vezes o destino trouxe coisas legais”. Sim, para mim também trouxe e ele vai ser responsável por inúmeras surpresas. Porém, é um péssimo vício esperar que ele lhe diga o próximo passo e depois ficar justificando porque isso era o certo. Você pode acreditar que cair da escada era seu destino para aprender, mas continuar caindo e justificando assim não é nada inteligente.

A vida, seja qual for sua crença, permitiu-lhe ter opções, e isso será sempre combinado com as ações do destino e ambições de várias pessoas. Você não pode deixar a balança apenas no lado que não controla.

Lembre-se que o Free LifeStyle tem a ousadia nas veias, experimentar o mundo.

Subir as escadas faz parte do dia a dia. Você tenta pulando, correndo, saltando dois degraus, escalando o corrimão... vai cair, mas sabe que subir as escadas é a história. Aceitar cair é escrever o livro da vida apenas como um drama, e por mais que drama seja bom, ainda assim todos queremos um final feliz.

Coloque um alerta nesses 3 sinais e seja o FLS que vai subir, cair, mas voltar a subir e subir.

Compartilhar no Facebook