2 formas de mudar a sua vida usando “E se...”

Talvez esse seja um dos inícios de frases mais poderosos que existe, tanto para o bem quanto para o mal. Experimente parar um pouquinho e pensar quando foram as últimas vezes que você o usou.

Ele pode estar ligado a situações muito chatas, arrependimentos e péssimas memórias quando estamos nos lembrando de algo que aconteceu:

  1. E se você tivesse falado com aquele diretor da empresa em que trabalha no evento e dito a sua ideia?
  2. E se você tivesse dito para aquela mulher o quanto gostava dela?
  3. E se você tivesse convidado aquele cara legal que conheceu por acaso para um café?
  4. E se você tivesse escrito aquele artigo e enviado para o blog do seu amigo?
  5. E se você tivesse dito não para aquela reunião sem sentido e ficado com a sua família no final de semana?

Para a maioria dessas perguntas, quando você passou por alguma delas, o sentimento era de que você poderia ter tomado uma atitude diferente... possivelmente mais ousada.

Mas o “E se” também pode estar ligado ao aumento de coragem, foco e estímulo, ou determinado o rumo a um grande sonho, normalmente ligado a uma expectativa.

  1. E se você pedir um aumento amanhã?
  2. E se você enviar o seu projeto para seu chefe semana que vem?
  3. E se você mandar uma surpresa para aquela mulher que está gostando?
  4. E se você pudesse se encontrar com aquele cara divertido no final de semana?
  5. E se você começasse um blog hoje?
  6. E se você procurar algum amigo que não vê faz tempo para um almoço no domingo?

Para a maioria dessas perguntas, agora existe uma sensação ótima das possibilidades existentes, caso elas acontecerem.

Eu deixei uma pista para você nessas duas descrições, sobre as formas que lidamos com o “E se...”. Pegou? Vamos lá então aprender como usar uma das frases mais poderosas de todas.

NO PASSADO

A questão é que seu uso no pretérito está mais voltado para algo que você poderia ter feito melhor, mas não fez. Não adianta ficar imaginando tudo de maravilhoso que teria acontecido caso a opção tivesse sido diferente, pois isso pode lhe trazer um falso conforto.

Contudo, você pode se questionar: “ué, não é importante para o meu aprendizado?”. Sim, precisamos evitar cometer os mesmos erros bobos, porém, não alimentando o que deixamos de fazer, mas com a dor do que não foi feito. A dor, nesse caso, é a mais poderosa amiga para não fazermos bobagem.

E é importante deixar claro que, na maioria das vezes, o pior “E se...” que existe é aquele que deixamos de fazer algo por escolha. Não há nada tão ruim quanto pensar naqueles casos que não tomamos atitudes, por pior que elas tenham sido, pois ao menos grandes histórias e lições aprendemos daquilo que fazemos. Não fazer nada é indiscutivelmente o pior jeito de não viver a sua vida – e isso é um dos maiores medos dos Free LifeStyle.

Arrependa-se mais, viva mais, aprenda mais e lembre-se da história de uma maneira legal de algo que presenciou e que dali para frente, é o seu grande presente.

NO FUTURO

Você pode estar com medo, possivelmente desconfortável, com algumas atitudes novas, mudanças, ir além das suas competências, desvendar um novo universo... Mas é possível sentir mais coragem nesse momento.

“E se...” você pensar no que de melhor pode acontecer, nas coisas incríveis que pode vivenciar? E até mesmo caso der errado, temos os aprendizados e histórias. Encarar esse caminho pode surgir como algo maravilhoso.

Desta forma, o mesmo conjunto de palavras lhe ajudará a buscar forças para encarar o novo. Quanto mais forte for essa imagem daquilo que você busca, maior será o estímulo para avançar. E como a galera do FLS está sempre querendo mais vida, por que não usar o poder das palavras?

Olhe novamente as perguntas e perceba quão encorajadoras elas são. E agora pense em 5 coisas que você gostaria de buscar este mês. Faça as perguntas usando “E se...” colocando no final o que gostaria de alcançar, e ainda pode complementar com aprendizados positivos que teria caso não desse certo.

Usamos essa combinação poderosa de palavras a toda hora, porém nem sempre da melhor forma. Algo simples, como perceber se estamos voltados para o passado ou o futuro, já faz uma diferença gritante na nossa organização mental (PNL).

Portanto, de um Free LifeStyle para outro, responda sinceramente a esta última pergunta: E se você usasse o poder dessas duas palavras para viver mais intensamente?

Se liga nesse vídeo para lhe dar um gás e sair buscar o que merece:

Compartilhar no Facebook